A Mandala dos Saberes é uma tecnologia social capaz de ser aplicada em qualquer espaço educacional: Ongs, Pontos de Cultura e escolas. A proposta estrutura-se no diálogo entre os marcos culturais do território escolar e os desafios acadêmicos. Desenvolvida através de seminários de formação continuada para professores e de fóruns virtuais de debates pedagógicos, de forma a que cada escola possa construir projetos pedagógicos capazes de expressarem a cultura local, esta ação vem sendo construída através de parcerias com os Ministérios da Educação e o Ministério da Cultura através dos Programas Cultura Viva (Pontos de Cultura) e Mais Educação (Educação Integral) SECAD / ME. Todas as ações descritas são realizadas nas 5 regiões do país através de equipes regionalizadas da Casa da Arte.

Através dos projetos construídos nas Mandalas, cada escola pode elaborar e visualizar seu projeto educacional e desenvolver suas relações. Os projetos nascem da interseção dos saberes escolares com os comunitário. As Mandalas/Projeto de Educação Integral expressam tanto as particularidades como suas imprevisíveis relações.
As Mandalas são pequenos círculos capazes de amplificar as muitas relações entre saberes; possuem tanto uma dimensão interior (dentro da escola e comunidade), como agem para o exterior (na rede de escolas e na cidade), como pequenos círculos em expansão, em busca de suas dimensões em rede. Cada uma significa pequenos sistemas, pois são individualidades de saberes atuando em grupo, em relação. Suas partes estão coordenadas entre si estruturando uma organização, o projeto de educação integral de cada escola/comunidade.
Através da criação de diversas Mandalas, cada uma caracterizando um projeto de educação integral, o que se pretende é a construção de uma constelação de Mandalas, uma vez que elas respondem a diferentes contextos e devem representar nossa diversidade.

1º PASSO – No centro sugerimos colocar o nome da escola;
2º PASSO – No segundo círculo indique o objetivo: a construção de projeto de educação integral.
3º PASSO – No terceiro círculo, indiquem os saberes comunitários. São eles que os apoiarão no desenrolar do projeto. Neste momento é necessário decidir se serão trabalhados todos os saberes apresentados na mandala de saberes comunitários, ou selecionados alguns (para esta decisão procurem pensar nas características das experiências comunitárias). Ao colocá-los em círculo, não os coloquem aleatoriamente um ao lado do outro, procurem pensar que relações vocês pretendem construir com os programas de governo, ou seja, com o próximo círculo. Lembre-se de que o desenho das Mandalas é um desenho de relações, as posições não são aleatórias, todas devem fazer sentido.
4º PASSO – Se facilitar, vocês poderão criar uma outra linha na qual façam referência aos saberes comunitários identificados. Por exemplo, se selecionarem habitação, indicar qual as características da habitação nesta comunidade. Esta sugestão pode facilitar a identificação do perfil cultural da localidade.
5º PASSO – A seguir identifiquem os Programas de Governo que irão apóia-los no desenvolvimento do Projeto de Educação Integral. Para auxiliar procurem as referências nos programas e os relacionem aos desafios e aos saberes comunitários
6º PASSO – Os saberes escolares devem ser identificados em diálogo com os círculos e saberes já apontados nos círculos anteriores.
7º PASSO – Na última linha, se quiserem, vocês podem indicar algumas relações com as áreas do conhecimento escolar: linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências da natureza e matemáticas e sociedade e cidadania. Dessa forma, fica mais fácil identificar as equipes da escola que deverão estar envolvidas no projeto.