Educação de Jovens e Adultos

A proposta desenvolvida se estrutura a partir do legado de Paulo Freire, ou seja, parte do princípio de que jovens e adultos apesar de não terem domínio da leitura e da escrita, vivem num mundo regulado por esta mesma linguagem escrita, criando assim, formas alternativas de lidar com ela.

Os trabalhos de educação com jovens e adultos na Casa da Arte de Educar foram desenvolvidos a partir de uma demanda comunitária e da necessidade de envolver as famílias dos estudantes no retorno aos estudos.

A Casa da Arte de Educar  promove a alfabetização criando um diálogo entre a linguagem escrita e as outras linguagens presentes nos Núcleos de Pesquisa da Organização: linguagem visual, musical, oficinas de memória, entre outras. Todo o trabalho envolve uma práxis orientada pela pesquisa-ação crítica e colaborativa, visando também a construção coletiva da metodologia Mandala dos Saberes. Esta metodologia, replicável em diversos contextos e destinada à alfabetizadores com experiências distintas, facilita o processo de alfabetização de jovens e adultos já que amplia a relação entre os saberes acadêmicos e os saberes locais.

Reconstruir o trajeto de retorno às práticas educacionais é um dos primeiros desafios no trabalho com este público, marcado por situações escolares, em muitas ocasiões, desfavoráveis. Para muitos a escola ficou para trás há muito tempo apesar do desejo de ler e escrever que todos possuem.

No Brasil, o ensino da língua aparece geralmente vinculado a vida estudantil: ler para aprender e escrever para comprovar o aprendizado. Entretanto, quando ao lado da dimensão instrumental, atribuímos à leitura e à escrita a condição de expressão do conhecimento, a alfabetização deixa de ser uma etapa da escolaridade e assume uma razão mais próxima da vida e, portanto, verdadeiramente educativa: uma conquista indispensável ao estudante, mas fundamental ao cidadão e ao ser humano.

Nesta proposta, a conquista da leitura e da escrita corresponde a conquista da voz individual e representa a participação social.
O Projeto de Educação de Jovens e Adultos articula duas linhas de ação:

• Formação de leitores e mediadores de leitura
• Fomento à produção de tecnologias educacionais.

A EJA também se desenvolve a partir de parcerias com museus, universidades, escolas e bibliotecas. Os estudantes tem a oportunidade de ampliar sua visão de mundo a partir da articulação entre a cultura local, os espaços de cultura na cidade e os conteúdos escolares.

Todas as ações são monitoradas e avaliadas, constituindo-se como base da pesquisa para a formulação de tecnologias educacionais para a educação de jovens e adultos. Nesta direção, é fundamental a articulação entre os diferentes atores envolvidos: estudantes, professores, familiares etc